Pelo incansável trabalho na fabricação dos cem mil protetores faciais nos laboratórios da Escola Superior de Tecnologia da Universidade do Estado do Amazonas (EST/UEA), realizado durante a pandemia, alunas e alunos, professoras e professoras, técnicas e técnicos administrativos e empresas parceiras foram homenageados pelo Reitor da UEA, Cleinaldo Costa, durante uma solenidade realizada na tarde desta terça-feira (21).

Em nome da Universidade, Cleinaldo agradeceu o apoio e a dedicação dos todos os voluntários que participaram do processo durante os últimos meses. Na oportunidade, o Reitor enfatizou a importância da iniciativa da equipe para a proteção e preservação das vidas dos profissionais de saúde que atuaram e continuam atuando diretamente na linha de frente do combate ao novo Coronavírus (Covid-19).

“Todos os voluntários se tornaram heróis. Eles foram muito corajosos, assim como a UEA é corajosa! Tenho uma enorme felicidade de dividir este momento com vocês e estou honrado de ver que a universidade, por meio dos voluntários, virou uma linha de produção para salvar vidas. Isso também só foi possível com o apoio da Honda, que embarcou nesse projeto conosco. No futuro, as pessoas lembrarão que uma universidade tão jovem, com voluntários jovens, salvou a vida de mais ou menos um milhão de pessoas. Quem imunizou essa população foi a UEA e todos os voluntários que fabricaram os cem mil protetores faciais”, disse Cleinaldo.

O professor e coordenador do projeto, José Renato Sátiro agradeceu a oportunidade e a confiança que a UEA depositou na equipe. “O nosso projeto teve uma vibração e uma energia muito positivas vindas da reitoria. Hoje, eu só posso agradecer a Gestão Superior e toda a comunidade acadêmica que esteve unida nessa ação tão enriquecedora. Todos foram fantásticos, doando seu tempo, sua dedicação para combater essa pandemia. A ideia era fazer mil, mas com a nossa união, nosso esforço, fizemos cem mil”, destacou o coordenador.

O diretor da Honda, Fausto Massami Tanigawa, lembrou que essa iniciativa ficará marcada na história da empresa e da UEA. Fausto destacou que o desafio foi enfrentado com grandeza, sabedoria e disciplina.

“Mantenham sempre esse ideal de ajudar o próximo. Tenho certeza que esse desafio que vocês enfrentaram nos últimos meses foi transformador na vida de cada um. O espírito jovem fez com que esse projeto desse certo. Nunca percam esse espírito, independentemente da idade. Carreguem essa experiência para toda vida. Todos estão de parabéns por não pouparem esforços para ajudar a população em um momento tão difícil”, comentou.

Aluno do curso de Engenharia Elétrica, o voluntário Jorge Rafael Rodrigues falou que apesar de se tratar de uma situação difícil, que envolve um trabalho árduo durante uma pandemia, a experiência vivida por ele será lembrado como um ato de amor ao próximo.

“Surgiu essa oportunidade de colaborar com uma ação de preservação da vida e eu não pensei duas vezes, aceitei e me envolvi de coração. A sensação de poder ajudar e saber que estou contribuindo para salvar muitas vidas é a melhor possível. Essa experiência humana foi um divisor de águas na minha história”, concluiu.

Foto: Joelma Sanmelo


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *